O Estado Islâmico (EI), também conhecido como Daesh ou ISIS, é um grupo radical sunita (um dos ramos do islamismo) criado a partir do braço iraquiano da Al-Qaeda, a conhecida rede responsável pelos ataques de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos.

Com maior capacidade de recrutamento, mais estrutura e com um território conquistado entre o Iraque e a Síria, o EI tem atraído milhares de jovens do mundo todo – segundo o Centro de Estudos do Radicalismo, mais de 20 mil estrangeiros de 50 países se juntaram a grupos sunitas radicais em 2014 – entre eles, principalmente, o Estado Islâmico.

O EI segue uma leitura radical das escrituras islâmicas e tem uma visão sectária antixiita.A sharia, lei islâmica, é seguida de forma rígida e práticas como a decapitação de inimigos e a pena de morte a homossexuais são amplamente usadas.

EI

A principal fonte de recursos do EI vem do petróleo. O grupo se apropriou de campos de produção e vende, segundo a organização Council on Foreign Relations (CFR), 48 mil barris por dia (44 mil dos campos sírios e 4 mil dos iraquianos). A venda do combustível rende US$ 1 a 3 milhões por dia. Ainda de acordo com o CFR, o regime do ditador Bashar al-Assad, os turcos e os curdos iraquianos – todos conhecidos inimigos do EI – são alguns dos clientes.

Dentro do califado, as regras de vida são rígidas e baseadas na sharia – lei islâmica. Outra inovação em relação à Al-Qaeda é o pagamento para os combatentes. Segundo uma reportagem da revista “The Economist”, cada guerrilheiro que luta em nome do grupo recebe um salário de US$ 400 mensais, valor bem superior ao que grupos jihadistas iraquianos ou que o Exército sírio paga a seus combatentes. Precisamos orar para que estes extremistas possam conhecer a Verdade e se render à Ela.

Depois da decapitação de alguns cristãos egípcios na Líbia, um vídeo no You Tube comoveu o mundo. Veja o que a graça de Jesus pode fazer:

Qual é o nosso papel?

Jesus nos disse qual é o nosso papel. Não tem como mudá-lo, somos como ovelhas no meio de lobos. Mas o ânimo não pode terminar, jamais pode ser apagado: Ele venceu. O Cordeio imolado de Deus, pagou o preço por todos nós, fazendo de cada um Amigo de Deus.

Em um mundo de tragédias, corrupção, terrorismo e maldade, é muito fácil ter opiniões que se misturam com a propaganda da mídia. Mas jamais se esqueça do comportamento que nós, como cristãos, devemos ter. Não se apaga o mal com o mal. O Justo Juiz vive, Ele fará a Sua vontade e exterminará, para sempre, as obras de Satanás. Mostremos, então, Seu amor para todos aqueles que nos cercam.

Qual é a nossa mensagem para o Estado Islâmico?

E aí? Comente e poste:

comentário(s)