Os filhos observam seus pais


por Anibelli Garcia


Toda criança nasce sem saber de nada, depende dos pais para se alimentar, se locomover entre outras coisas, tudo isso porque elas ainda não conseguem se expressar, elas estão a cada momento aprendendo a viver.

Seus pais são os grandes responsáveis por esse período, porque eles vão agir de acordo com a maneira que seus pais agem. Há uma fase em que nossos filhos acreditam como única verdade todas as coisas que nós lhes dizemos, mas, mais importante do que o que dizemos, eles seguirão nossos passos e farão tudo o que fizermos, porque estão aprendendo conosco.

Em Gênesis 4, a Bíblia relata o nascimento dos filhos de Adão e Eva, Caim e Abel, e logo em seguida narra a história da oferta de Abel e Caim. No início de Gênesis, quando Adão e Eva pecaram, eles encontraram uma maneira própria de encobrir seu erro, fazendo uma roupa de folhas para esconder sua vergonha. Deus, porém, mostrou para eles que embora o tivessem desobedecido e o entristecido, não era desta maneira que eles resolveriam o problema.

Deus mesmo era o único que poderia resolver tudo isso, e a primeira morte da história acontece. Deus sacrifica um animal para cobrir a vergonha de Adão e Eva com a pele do animal:

“… fez o SENHOR Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher e os vestiu,…
Gn. 3:21.

Desde o início Deus deixou claro que por causa do pecado, somente sacrificando, o homem poderia se aproximar dele novamente. Acredito que Adão e Eva guardaram bem essa lição, e creio que eles continuavam sacrificando animais todas às vezes que iam adorar ao SENHOR.

Seus filhos Caim e Abel, conviveram com isso desde sempre, observavam essa atitude de seus pais, acredito que seus pais lhes contavam sobre Deus e sobre a criação, porque essa tradição continuou por muitos séculos, os antigos contavam aos seus filhos e seus filhos contavam aos seus netos, e assim por diante, por isso temos alguns dos relatos bíblicos registrados hoje em dia.


Muitas vezes achamos que Deus deve se agradar porque o amamos, mas, se não fazemos o que Ele manda, isso não é verdadeira adoração.


O pecado está no coração do homem

Adão e Eva estavam com Deus, aprenderam tudo de Deus, mas infelizmente, permitiram que o pecado entrasse no mundo, desde então qualquer bebê já nasce com uma natureza pecaminosa.

Caim e Abel são um exemplo disso, ambos nasceram no mesmo lar, foram criados da mesma maneira, porém, demonstraram atitudes diferentes. Abel seguiu os padrões de Deus para ofertar ao SENHOR, Caim, todavia, seguiu seus próprios padrões do que era bom ou não para ofertar a Deus.

Muitas vezes achamos que Deus deve se agradar porque o amamos, mas, se não fazemos o que Ele manda, isso não é verdadeira adoração.

Jesus disse:

Vós sois meus amigos, se praticais o que eu vos mando.
João 15:14.

Deus recebeu a oferta de Abel, porque ele O adorou como deveria, segundo o padrão que o próprio Deus demonstrou, conforme viu seus pais O adorarem. Já Caim escolheu adorar a Deus da maneira que ele mesmo achou melhor, e mesmo após Deus lhe dar a oportunidade de se reconciliar, ele permitiu que o pecado o cegasse e matou seu irmão. Sobre eles a Bíblia afirma:

“… e não sejamos como Caim, que pertencia ao maligno e assassinou seu irmão. E por que o matou? Porque suas obras eram más e as de seu irmão eram justas.”
1 João 3:12.

Pela fé Abel ofereceu a Deus um sacrifício mais excelente do que Caim. Por meio da fé, ele foi reconhecido como justo, no momento em que Deus aprovou suas ofertas. Apesar de estar morto, seu testemunho de fé ainda é eloquente”.
Hebreus 1:4.


Ensinemos nossos filhos

Podemos concluir dizendo que nossas ações refletem em muito na educação de nossos filhos, em quem eles se tornarão, contudo, isso não é o fator determinante para as atitudes que eles terão.

Claro que Caim ouviu seu pai dizendo que pecou, que desobedeceu a Deus, bem como Abel também ouviu as mesmas histórias. Caim escolheu seguir o mau exemplo de seu pai, e Abel escolheu o bom exemplo.

Nossos filhos vêm nossos erros e nossos acertos, visto que ninguém é perfeito a não ser Cristo. Sendo assim eles mesmos escolhem que caminho seguir, nosso papel e nossa responsabilidade diante de Deus e dos homens é cria-los no caminho do SENHOR (Pv 22:6).

Para tanto, não podemos nos esquecer que para criar os filhos no caminho e temor do SENHOR, precisamos viver uma vida digna em Deus. Se agirmos assim, as escolhas erradas dos nossos filhos serão por desobediência e não por um mau exemplo.

Não precisamos ou não devemos carregar sobre nós essa culpa,mas, se negligenciarmos isso, deixando de ensina-los ou deixando de viver uma vida que agrade a Deus, como um modelo para eles, então não estou bem certa se seremos isentos dessa culpa.


E entre tantas outras artimanhas do mal, nosso inimigo deseja destruir a família, … buscando uma forma de nos atingir levando “cativos” nossos filhos


Lutando por nossos filhos

Não podemos ignorar que há uma luta espiritual contra nós e contra os nossos, e isso deve nos impulsar a orar mais. Essa luta se intensifica contra nossa família, principalmente quando decidimos servir ao SENHOR no ministério, expandindo seu Reino entre as nações, porque o maior interesse de nosso inimigo é que isso nunca aconteça.

Com certeza, pastores, missionários, evangelistas, pessoas que tem um chamado de Deus para alcançar outras vidas, serão mais retaliados, como um soldado no front da batalha.

Há um esforço maior do inimigo de nossas almas contra todos que estão conscientes de sua missão como igreja. As armas e táticas do mal estão todas apontadas para que estes não continuem a obedecer ao chamado de Deus.

E entre tantas outras artimanhas do mal, nosso inimigo deseja destruir a família, ceifar nossos filhos, e está constantemente buscando uma forma de nos atingir levando “cativos” nossos filhos (1 Samuel 30:1-6).

Mas precisamos nos precaver, nos “reanimar” sempre no SENHOR todos os dias, lutar contra toda artimanha do inimigo para impedir sua ação contra nossa família e nossos filhos. Devemos sempre consultar ao SENHOR nosso Deus e usar as estratégias certas contra o nosso inimigo (1 Samuel 30:8, 18).


Então oremos…

Temos uma estratégia que não é preciso esperar uma resposta do SENHOR para implementá-la. Sabemos que sempre que clamarmos de acordo com a vontade dEle, seremos respondidos (Mateus 7:8; 1 João 3:22; 5:14). Então, oremos:

  • Para que Deus nos guarde de pecar contra ele;
  • Para que Deus guarde nossos filhos de se distanciar de seus caminhos;
  • Para que Deus nos de sabedoria, força e coragem para exercer nosso papel de pais;
  • Para que Deus use nossa vida como um exemplo;
  • Para que não usemos nosso ministério como desculpa, para não exercer nosso papel;
  • Para que nosso primeiro alvo seja alcançar nossa casa;
  • Para que deus faça com que nossos filhos se lembrem de tudo que aprenderam sobre a palavra e não venham em nenhum momento duvidar;
  • Para que eles se sintam participantes do nosso serviço ao SENHOR;
  • Para que eles sejam a diferença entre seus amigos e colegas;
  • Para que eles sejam íntegros e responsáveis;
  • Para que eles glorifiquem o Nome do nosso SENHOR.

Devemos nos conscientizar disso e lutar cada dia mais através da intercessão e do estudo da palavra no lar, aconteça o que acontecer, se não lutarmos hoje, agora, amanhã ou depois, pode ser tarde.


Anibelli Garcia é missionária da WH Brasil, juntamente com seu esposo, Jefferson Garcia e filhos, Samuel (7 anos) e Eloah (4 anos), tendo servido no Oeste Africano por 10 anos.


Início


Postado em Sem categoria