Todo mundo já ouviu falar?

 

Depois destas coisas, vi, e eis grande multidão que ninguém podia enumerar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de vestiduras brancas, com palmas nas mãos; e clamavam em grande voz, dizendo: Ao nosso Deus, que se assenta no trono, e ao Cordeiro, pertence a salvação.” (Apocalipse 7:9-10).

 

 

Certamente todo mundo já ouviu falar?

 

Às vezes, ouve-se o comentário:

“Certamente quase todos já ouviram falar de Jesus. Certamente, missionários foram enviados a todos os países. Não completamos a Grande Comissão? “

Mesmo que a difusão do cristianismo tenha sido nada menos que sobrenatural, ainda existem grandes segmentos da população mundial que nunca ouviram o nome de Jesus e muito menos uma apresentação clara da mensagem da salvação.

 

Países ou nações?

 

Jesus ordenou que seus seguidores fizessem discípulos de todas as nações, significando todos os grupos étnicos.

 

Embora o Evangelho tenha ido a todos os países políticos do mundo, quando Jesus ordenou que seus seguidores “fizessem discípulos de todas as nações” em Mateus 28:18-20, ele não estava se referindo a nações políticas como Canadá, Quênia, Rússia, etc.

Muitos países, como os Estados Unidos, Brasil, Espanha, não existiam como entidades quando Jesus deu a ordem. A palavra que Jesus usou para as nações em grego é “ethnos“, da qual obtemos a palavra em inglês “ethnic” (ou “etnia” em português).

Desta forma “ethnos” pode simplesmente significar qualquer não-judeu, ou seja, um gentio ou pode significar “um grupo de indivíduos com uma identidade comum”. Na Grande Comissão, Jesus ordenou que Seus seguidores fizessem discípulos de todos os “grupos étnicos”, isto é, de “todos os povos” dentro das “nações” (países constituídos politicamente).

Isso faz uma diferença dramática ao considerar o alvo da Grande Comissão. Os dois mapas a seguir mostram a diferença entre um país político e os grupos étnicos desse país:

 


(Etnia curda na Turquia)

A definição usada pelos estrategistas de missão para o grupo de pessoas é “um grupo significativamente grande de indivíduos que têm uma afinidade comum entre si por causa de sua linguagem, religião, etnia, residência, ocupação, classe ou casta, situação, etc.”, ou combinações destes.

Para propósitos evangelísticos, é “o maior grupo no qual o evangelho pode se espalhar como um movimento de plantação de igrejas sem encontrar barreiras de entendimento ou aceitação“, (Ralph Winter p. 536).

Os dados atuais sugerem que existem cerca de 17.000 grupos étnicos (grupos de pessoas, povos) distintas quando as fronteiras dos países são consideradas.

Os curdos, de língua turca na Turquia, é um exemplo de um grupo de pessoas não-alcançadas.

 


 

Alcançados x Não-alcançados?

 

As estimativas sugerem que aproximadamente 7.000 grupos étnicos ainda são considerados não-alcançados.

 

Um grupo de pessoas não alcançadas é “um grupo de pessoas dentro do qual não há comunidade autóctone (nativos) de cristãos capazes de evangelizar seu grupo étnico“.

(Autóctone: que ou quem é natural do país ou da região em que habita e descende das raças que ali sempre viveram; aborígene, indígena, nativo).

Em meados da década de 90, os estrategistas da missão procuraram quantificar essa definição. Eles estabeleceram o critério de não-alcançado como menos de 2% de verdadeiros seguidores de Cristo e menos de 5% de cristãos professos (isso inclui todas as formas de cristianismo, isto é, qualquer um que se chamaria de “cristão”).

Embora esses números percentuais sejam um pouco arbitrários, “não devemos subestimar o significado do pequeno grupo de pessoas que têm uma visão de um mundo justo e gentil. A qualidade de toda uma cultura pode ser alterada quando dois por cento de seu povo tem uma nova visão“, afirma Robert Bellah, do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de Princeton, Christianity Today, outubro de 2011: 42 .

Então, quantos dos aproximadamente 17.000 grupos étnicos são considerados não alcançados, isto é, menos de 2% de seguidores de Cristo e menos de 5% de cristãos professos?

As estimativas mais recentes sugerem que aproximadamente 7.000 grupos étnicos são considerados não-alcançados. Isso significa que mais de 40% dos grupos de pessoas do mundo não têm comunidade de cristãos autóctones capazes de evangelizar o restante de seu grupo étnico. Mais de 42% da população mundial vive nesses grupos de mais de 7.000 pessoas.

A seguir estão alguns fatos preocupantes sobre apenas os 50 maiores grupos étnicos não-alcançadas:

  • Esses 50 grupos de povos não-alcançados têm menos de 2% de seguidores de Cristo;
  • Os indivíduos desses grupos têm acesso muito limitado, se houver, ao Evangelho;
  • O número total de pessoas desses 50 grupos não-alcançadas é constituído por 1,48 bilhão de almas;
  • Uma em cada cinco pessoas na terra vive nesses 50 povos não-alcançados;
  • Cada grupo tem mais de 10 milhões de habitantes;
  • Nenhum povo desses 50 grupos tem uma igreja autóctone (nativa) capaz de levar o Evangelho ao restante do grupo;
  • Religião primária: 23 são muçulmanos, 18 hindus, 6 budistas, 2 religiões étnicas e 1 não religiosa;
  • 44 desses 50 grupos de povos não-alcançadas estão na Janela 10/40, 47 estão em países sensíveis (com restrições severas ao evangelho).

 

Possivelmente 4 em cada 5 pessoas em um grupo não-alcançado não têm consciência do Messias.

 

(Os Yadav na Índia são um dos 50 maiores grupos de povos não-alcançadas)

É importante notar que isso não significa que todos os indivíduos de um grupo de povos não-alcançados nunca ouviram falar de Jesus ou da mensagem da salvação.

Geralmente, há uma pequena porcentagem (menos de 2%) de seguidores de Cristo nesses grupos, mas a grande maioria do grupo tem uma exposição mínima, se houver, à pessoa de Jesus Cristo e às Boas Novas do dom gratuito da salvação de Deus.

Por razões de argumento, suponha que para todo cristão verdadeiro, dez tenham ouvido falar de Jesus, mas não o abraçaram. Isso significaria que em um grupo de povos não-alcançados, 20% tinham ouvido falar de Jesus e 80% não.

Em outras palavras, possivelmente 4 em cada 5 pessoas em um grupo não-alcançado não têm consciência do Messias.

Considere, por exemplo, os 136 milhões de Shaikh não-alcançados de Bangladesh, os 61 milhões de brâmanes não-alcançados da Índia, 62 milhões de Yadav não-alcançados da Índia ou os 37 milhões de Java Pesisir Lor não-alcançados da Indonésia.


 

 

Grupos de povos não-engajados

 

Não-engajado significa que definitivamente não há missionários e, com toda probabilidade, não há evangelismo, igreja, material cristão e poucas, se é que há, Bíblias nesses grupos étnicos.

 

Milhões de indivíduos nesses grupos de povos não-engajados nunca ouviram falar de Jesus.

 

Dados do Conselho Internacional de Missão (IMB) da Convenção Batista do Sul, o maior conselho missionário denominacional do mundo, sugerem que existem possivelmente mais de 3.000 grupos étnicos que não são apenas não-alcançados, mas também que não são reconhecidos como engajados. O esforço de plantação de igrejas local não está em andamento, poucos ou nenhum cristão é conhecido.

É uma grande injustiça pensar que 2.000 anos depois de Jesus ter dado à Grande Comissão, muitos grupos de pessoas não têm testemunho no meio deles. Dizer que um grupo de pessoas não é engajado significa que definitivamente não há missionários, com toda probabilidade não há nenhuma divulgação, nenhuma igreja ou comunhão de cristãos, nenhum material cristão e poucas ou nenhuma Bíblia nesses grupos étnicos.

Embora seja certamente possível que o Senhor tenha trabalhado sobrenaturalmente entre um grupo não-engajado e sem envolvimento externo, essa não seria a maneira típica que Ele ordenou para a propagação do Evangelho. Ele ordenou que a Igreja fosse a “todos os povos”, a “todas as nações” até os “confins da terra” (Mt 28:19, Lc 24:47; At 1:8; Ap 7:9).

Existem milhões de indivíduos nesses grupos de povos não-engajados que nunca ouviram falar de Jesus ou de Sua obra de redenção.


 

 

Necessidade de tradução da Bíblia

 

Milhões de povos ainda não possuem as Escrituras na língua materna.

 

(O Khampa, do norte da China, não possui nenhuma parte da Bíblia em seu idioma)

Para fazer, não apenas um convertido, mas um discípulo de Jesus exige que as Escrituras estejam disponíveis na língua materna.

Wycliffe Bible Translators relata que aproximadamente 1.600 idiomas precisam de tradução definida.

Isso significa que, para os falantes de língua materna dessas 1.600 línguas, nenhuma Escritura existe. Eles podem ter acesso limitado às Escrituras no comércio ou nos principais idiomas, mas não têm acesso no idioma do coração.

É claro que os idiomas com maior número de falantes foram traduzidos, mas muitos milhões ainda não possuem as Escrituras na língua materna (idioma ou dialeto usado por um grupo particular de pessoas, uma etnia).


 

 

Acesso limitado

 

81% de todos os hindus, muçulmanos e budistas não conhecem um cristão.

 

Mesmo que as Escrituras sejam traduzidas e a mídia noticiosa esteja disponível, estima-se que 1 bilhão de adultos são considerados analfabetos no mundo. A maioria desses está concentrada em apenas oito países: Bangladesh, China, Egito, Etiópia, Índia, Indonésia, Nigéria e Paquistão. Todos esses países têm uma concentração muito alta de grupos étnicos não-alcançados.

As taxas de alfabetização extremamente baixas estão concentradas em três regiões: os estados árabes, sul e oeste da Ásia e a África Subsaariana, novamente regiões altamente não alcançadas (World Factbook).

Além disso, 60% da população mundial é considerada “aprendiz oral”, o que significa que seu modo de aprendizado preferido é oral, não escrito. Algumas estimativas sugerem que até 70% dos povos não-alcançados do mundo são comunicadores com preferência oral.

Para aqueles que são alunos analfabetos ou orais, jornais, livros, impressos, textos na internet, mesmo uma Bíblia física terá um impacto mínimo (Rede Internacional de Oralidade).

Um pouco mais da metade da população mundial tem acesso à Internet. Portanto, pouco menos da metade da população mundial não tem acesso on-line a informações espirituais e à mensagem do Messias. A situação é pior nas áreas onde o evangelho se espalhou menos.

Por exemplo, a penetração da Internet é de apenas 45% na Ásia e 27% na África. A região da “Janela 10/40”, onde residem a maioria dos povos não-alcançados, possui uma das menores disseminação da Internet. Essas regiões também são algumas das mais pobres, limitando ainda mais o uso da internet, mesmo quando disponível (Estatísticas mundiais da Internet).

 

Contato limitado

 

Um estudo recente procurou determinar o nível de contato entre cristãos e não cristãos . Aqui estão algumas das descobertas surpreendentes:

  • Apenas cerca de 10% dos muçulmanos na Ásia conhecem pessoalmente um cristão, enquanto cerca de 70% dos muçulmanos na América do Norte conhecem um cristão;
  • Possivelmente, apenas cerca de 15% de todos os muçulmanos do mundo todo conhecem pessoalmente um cristão
  • A Ásia é o continente mais isolado, com menos de 20% dos mais de 4,5 bilhões de pessoas que afirmam conhecer um cristão
  • 81% de todos os hindus, muçulmanos e budistas não conhecem um cristão.

 

 

Adendo sobre  Janela 10×40

 

A “Janela 10/40” é um retângulo formado entre os graus 10 e 40 acima da linha do Equador que abrange 62 países. Nesta “Janela” estão incluídos países do norte da África, do Oriente Médio e a maioria dos países da Ásia.

(Janela 10/40 – retângulo formado entre os graus 10 e 40 acima da linha do Equador)

Nela encontramos a concentração de adeptos de três das quatro maiores religiões do mundo atual: islamismo (22%); hinduísmo (15%); budismo (8,5%) – (wikipedia.org).

Segundo o relatório da ONU (Organizações das Nações Unidas), dos 20 países mais populosos em 2019, 15 estão na Janela 10×40. Também, dos 20 países mais pobres do mundo atual, que enfrentam graves problemas econômicos e sociais, segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) com base no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), 16 estão na Janela 10×40.

Dos 26 conflitos étnicos e sangrentas disputas de poder entre governos e milícias no mundo atual, que já forçaram mais 65 milhões de pessoas a deixarem seus países fugindo da violência em 2017, segundo o Global Conflict Tracker (pesquisado em 04/12/19), 23 conflitos estão ocorrendo na Janela 10/40.

Além disso, dos 62 países que compõem a Janela 10/40, infelizmente, 43 estão na lista dos países de maior perseguição contra cristãos segundo a Missão Portas abertas (Lista Mundial de Perseguição 2019).


 

 

O Grande Desequilíbrio

 

Para cada dólar de recursos cristãos, menos de um centavo é direcionado para alcançar povos não-alcançados.

 

Na parábola das “Ovelhas Perdidas” (Lucas 15:3-7), o pastor deixa o 99 e procura uma que estava perdida. Ele usa todos os seus recursos para encontrar os perdidos.

No mundo atual parece que a prioridade é inversa, com a grande maioria dos recursos cristãos sendo usados ​​para cuidar do rebanho e poucos sendo usados ​​para procurar os perdidos.

Mais de 90% de todos os missionários trabalham entre os povos já alcançados. Para cada dólar de recursos cristãos, menos de um centavo é direcionado para alcançar povos não-alcançados.


 

 

Resumo de fontes respeitadas

 

Pode haver quase 2 bilhões de pessoas que nunca tiveram a chance de ouvir o Evangelho.

 

A Operation World (Operação Mundo) apresenta dados sugerindo que, após o auge em meados dos anos 90, a taxa de crescimento do cristianismo em geral e dos evangélicos (uma aproximação dos verdadeiros seguidores de Cristo) diminuiu significativamente.

Depois de descrever numerosos avanços do Evangelho, a Operação Mundo declara:

O fato preocupante é que, mesmo com toda essa atividade, provavelmente 24-27% da população mundial não recebeu as boas novas de uma maneira que pudessem apreciar e, de maneira significativa, responde-la ” (Operação Mundo pág. 10).

Isso se traduz em muito perto de dois bilhões de indivíduos, um em cada quatro indivíduos, sem nenhum conhecimento do Salvador!

Futuro da Igreja Global (The Future of the Global Church), lançado recentemente, tem uma seção sobre os não-evangelizados. Enquanto a porcentagem do mundo sem evangelização diminuiu, o número absoluto de não evangelizados aumentou.

(Divisão do mundo atual segundo o Atlas)

O texto da página 161 diz: “A verdade perturbadora é que ainda pode haver quase 2 bilhões de pessoas que nunca tiveram a chance de ouvir o Evangelho“.

Atlas do Cristianismo Global, baseado no “Banco de Dados Cristão Mundial”, define uma “pessoa evangelizada” como “um indivíduo que teve oportunidade ou oportunidades adequadas para ouvir o Evangelho e responder a ele, quer ele responda positiva ou negativamente“.

Usando essa definição, o Atlas divide o mundo atual em Mundos A, B e C, onde o “Mundo A” é considerado não-evangelizado. O Atlas sugere que existem mais de 2 bilhões de pessoas no “Mundo A” (Atlas p. 312-313).


 

 

Conclusão

 

(Quanto tempo o árabe iemenita no Iêmen deve esperar pelo evangelho?)

Como Ralph Winter afirmou apropriadamente:

A tarefa de identificar e ir aos demais povos não-alcançados – o grande desafio de ‘discipular todas as nações’ – ainda está diante de nós. Mas temos certeza nas Escrituras de que Deus será adorado por ‘uma grande multidão que ninguém pode contar, de todas as nações, tribos, pessoas e idiomas.’ Temos a oportunidade de alcançar e ir a todos os grupos de pessoas do planeta com a luz do evangelho com mais impulso do que nunca na história. Seja parte dele – encontre um lugar de significado histórico ao declarar ‘Sua glória entre as nações!’

 

 


 

Fontes:
Texto original “Has Everyone Heard?” de Joshua Project (https://joshuaproject.net/resources/articles/)
O adendo sobre a Janela 10×40 não faz parte do artigo original.

 


Início


 

Postado em Sem categoria